quinta-feira, junho 20, 2013

Drops

Nossa... O tempo passou voando.
Falta apenas uma semana pra voltar pra casa. E eu nao vejo a hora disso acontecer. Saudades demais da minha casa, minha geladeira, meus cachorros, meu moreno, minha familia, sobrinho fofo, amigas, meu trabalho. Nao nessa ordem. Mas saudade de tudo.

Essa semana que passou teve:

- Dia dos namorados à distância. Comecei o dia agradecendo ao meu moreno pela parceria e pela paciencia com minha inquietação. E terminamos o dia dos namors com uma surpresa que me derreteu. Ele me chamou no skype na hora de sempre e, quando vi, estava em cima do palco (ele estava trabalhando) e recebi uma declaração de amor e ele tocou a nossa musica. <3
So cute. E assim passamos o dia dos namorados, eu assistindo o show dele pelo skype. :)


Sexta foi day off na escola e passei o dia num lugar horrível chamado Vaughan Mills. Simplesmente um shopping com 250 outlets das mais variadas e melhores marcas. E lá eu quase enfartei quando, viajando dentro da Gap, percebi que havia deixado minha mochila carrinho em algum lugar da loja que nao fazia ideia. Me desesperei com a certeza de que tinha perdido absolutamente tudo que tinha comprado. Cheguei no caixa e óbvio: a bag estava lá, alguem havia entregue. O óbvio aqui é outro. Falando bem serio, fiquei quase uma hora com o coracao palpitante do susto.

.:.

Sabado foi dia de zoo. Duas horas pra ir, duas horas pra voltar. Street car, metro, onibus, praticamente fora de Ontario. Longe demais. Caminhei por mais de seis horas. Por um... Zoologico.
Ok, é organizado, limpo, lindo, mas um zoo. Mas amei os pandas. :)


Domingo foi dia de conhecer a praia de lago. Toronto tem lagos, ilhas e esta praia é como se fosse nosso Guaíba. Bem marromeno.
Mas....meu vi esquilos!! Finalmente!! Muitos deles.




Segunda fiz meu segundo teste. E realmente já andei alguns degraus. Tirar nota 17/20 e o desempenho nas demais aulas melhorou consideravelmente. Hoje consegui entender 60% do que as pessoas da minha homestay disseram. Semana passada eram 30%, se isso.

.:.

Estamos num momento historico no Brasil, quando as pessoas decidiram ir as ruas. Nao vou me alongar explicando sobre, todos estamos vivendo isso. Alem do orgulho imenso, sinto por nao estar no país vivendo esse momento. Mas na terça cerca de 2 mil brasileiros aqui Toronto tambem foram às ruas, fazendo coro com todas as manifestacoes do Brasil. E eu fui.




Essa semana teve ainda ida ao jogo de baseball do time Blue Jays, no Rogers Stadium. O estadio é sensacional. Ele pode ser fechado como uma grande casca de noz e cabem 80 mil pessoas. Ele é mais inclinado que a Bombonera!! Adorei a experiencia. Entendi bulhufas do jogo, mas foi muito legal. Of course, fiquei 1,5 hora das 5 que duraram o jogo.




Hoje fomos para o extremo oposto do lado do zoo, extremo oeste, em busca da outlet da Lindt. Inexplicavel. Carol, te dedico. :))

.:.

Amanhã vou viajar para French Canada: Otawa, Quebec e Montreal. Demais!!! Volto domingo.
E entao faltara apenas uma semana.
Pouco para o ingles, demais pra ficar longe. Tenho mais idade pra isso nao, gente! Mas no resumo de tudo eu concluo isso mais profundamente.

Cabou?
Cabou.






terça-feira, junho 11, 2013

June, 11: bad day

Bad day. Nao fui bem no teste de ontem e fiquei bem maleixa. Mesmo.

Preciso fazer isso aqui valer a pena cada hora. É só um mês. Os estudantes aqui tem programas de 3, 6, 12, 18 meses. Eu tenho 28 dias e ponto, e a angústia vai aumentando. Nada é do jeito que você planejou quanto ao "I need improve mais English". Ainda mais eu, lenta do jeito que sou pro aprendizado se incorporar a mim. Eu sinto, eu não aprendo. E tá lenta a coisa.

A gente só descobre como funciona o curso quando chega aqui. Ou se alguém explicar antes. Não, não é um curso pro período de tempo que você vai cursar. Você chega, faz o teste, é enquadrado nas aulas, cada uma de acordo com o level do skill respectivo. BUT é um curso regular. 

Logo, tenho classes em que estou na unidade 2 do livro e outras na unidade 8 de 10. O antes? Tem que saber, ter visto ou nenhuma das anteriores. Ou seja, no fim das contas, um mês de curso são 4 unidades de inglês integrado, gramática e conversação. Lento, bem lento. E olha que eu acho que o sistema que eu curso no Brasil é devagar quase andando. O foco é amarrar a galera aqui o mais tempo possível.

Então, meu filho, o negocio é fora da escola. Aproveitar pra conversar com as pessoas, treinar o ouvido, errar falando, ser corrigido, enfim. Em um mês. Conclua sozinho em quanto está minha expectativa nesse momento. Mas é bom, muito bom, pelo conjunto todo. 

Tipo hoje: praticar o inglês fazendo isso:

:)

O mercadão daqui



Casa Loma. História na foto abaixo.






See you.

:)


segunda-feira, junho 10, 2013

Weekend

Tá, tô aqui.
Blog é isso, meus milhões de leitores ficaram esperando atualizações. Oh, wait.

Fim-de-semada que só não foi o mais cinquenta tons sem tesão de cinza do céu porque o domingo salvou. Niagara Falls perdeu em muito com este clima inverno no verão.

Não vi o Pica-Pau.
Mas vi, lá longe, as capinhas amarelas fazendo \o/.
Só vi porque não tenho visto americano, logo... Mas poderia ter descido aos pés(?) da catarata se quisesse, mas se na tua você se encharca, no barco é banho certo. E 10 graus, gente, dou conta não.

Niagara é um mix de Gramado com Las Vegas e Foz do Iguaçu. Do pitoresco vilarejo, à natureza inserida numa quadra de uma Las Vegas pobre. Definitivamente não combina. Analisando cada coisa separadamente, muito legal.

Saimos de Toronto as 9am e retornamos 11pm. Um longo passeio, com direito a três horas em outlets bem interessantes. Niagara fica a cerca de 130km, mas a velocidade máxima permitida por aqui é 100km/h. Em algumas vias, 80. Nao tem radar e se tiver e fizerem uma foto, vc pode recorrer por estarem invadindo sua privacidade. Mas ninguém passa dessa velocidade e eis o sentido de tudo.

Aqui, todos seguem as regras/leis. Sao muitos e muitos estrangeiros, de nacionalidades muito diferentes. O Canada tem pouco mais de 200 anos e estão tentando populacionar ao máximo o pais, incentivando as pessoas a virem pra ca. Por isso as regiões em Toronto, separadas por países, estão cada vez maiores. Mas as regras são severamente respeitadas pq todos sabem que, se cada um vier pra ca e fizer o que faz em seu pais, não tem condições.

.:. 

Falando em regiões, o domingo foi pra conhecer o bairro Grego. Que de grego só tem as placas das ruas e alguns restaurantes típicos. Se houvesse uma competição entre cada "povoado", Danforth perderia feio. Ate agora, Italia foi minha predileta. Até musiquinha ambiente nas caixas de som na rua. :)

.:. 

Pra terminar o fim de semana e começar bem uma segunda de testes, uma Heineken, enfim.
Amanhã falo um pouco mais sobre a dinâmica do curso propriamente dito.

Ps: Cati, adorei tua persistência e o carinho.
Boa noticia pra ti: minha viagem será de um mês :o)

Niagara e a primeira geração de energia


Gramado?


\o/ \o/ \o/


Las Vegas?



Danforth





quinta-feira, junho 06, 2013

6th day: click

Com um pouco mais de carinho, hoje, vamos lá.

Passei o dia inteiro pensando no click que rolou de ontem pra hoje.
Virou a chave. Caiu a ficha. Não sei que nome tem isso, só sei que dormi entendo inglês de um jeito e acordei de outro. Isso mesmo. Saca criança que não falava nada até minuto atras e simplesmente solta um mamãe? E que fica balbuciando silabas e de um dia pro outro começa a falar feito matraca? Pois é. Mais ou menos por aí. 

Aí vc tá dizendo aí: ah tá, gata, vai me dizer que a fada madrinha apareceu de noite e você acordou falando inglês. Não, não é isso. Mas ontem a noite eu não entendia peanuts que a minha homestay dizia, por exemplo. E hoje no jantar conversamos sobre a colonização, economia e governo do Canada e sobre os meus planos para as próximas duas semanas. Não fluente. Mas entendi o contexto do que ela disse e eu consegui começar a fazer estruturas mais adultas de frases. Magica? Maybe. Não sei explicar. Mas vou dormir torcendo pra que a chave continue virando assim. 

.:.

Fez muito, muito, muito frio hoje. Sensação térmica de 7 graus. Vento. Chuva. Dia péssimo e eu aqui me perguntando o que eu faço com todas as roupas de verão que eu trouxe, ja que o mesmo começa nas próximas semanas. Teoricamente, o inverno não deveria estar aqui. Mas como já comentei, mesmo assim os canadenses estavam de roupas curtas hoje. Mas entendi porque. Neste inverno que passou, as temperaturas chegaram a (pasme) -30. Sim, m-e-n-o-s   t-r-i-n-t-a graus. Logo sim, é verão.

.:.

Sentindo-se mais disposta, com mais energia e mais a vontade, já é possível fazer coisas normais, como observar as pessoas ao redor na escola. Gente de tantos cantos diferentes do mundo, tantas culturas diferentes é uma experiência única. Boa e ruim. Pro chinês é normal parar do teu lado e cuspir no chão, quase no teu pé. Pras muçulmanas, nossas roupas são escandalosamente curtas. Pra mim, aquele lenço e a burca me incomodam profundamente. Outros comem de garfo e faca comidas quentes (e fedidas) em ambientes fechados (sala de aula, trem, metro). Japonesas fazem cosplay de moda. Enfim.
.:.

Pra encerrar, algumas fotinhos da visita a CN Tower. Que pra mim, o mais interessante, foi olhar a historia da sua construção. Alem de que estar a meio quilometro de altura, obviamente, é uma experiência incrivel.


Não cabe na foto. :)



Chao de vidro




quarta-feira, junho 05, 2013

5th day: bullets

Povo, hoje nao vai rolar.
O dia:
- foi frio
- teve caminhadas gigantescas
- é mais facil achar um urso do que uma meia calça em Toronto.
- a CN Tower tem mais de meio quilometro de altura. É bonito, deveras interessante, mas ok. Just ok.
- minhas pernas doem.
- a maratona de aula foi menos cansativa do que ontem.
- ta nascendo o meu projeto mais querido da vida. Um filhote lindo que sera parido a distancia. :)
- por mais que tu planeje e evite, é impossivel nao falar portugues com outro brasileiro. É isso, ou vc morre engasgado.

Amanha volto com mais energia, fotos e menos dores musculares.
Sou uma sedentaria. Da cabeça aos pés.

terça-feira, junho 04, 2013

4th day: só o pó da reba do tatu

Só to aqui porque né, estou comprometida. Com vcs e comigo. But today, was a really hard day.
Mas sobrou só o titulo desse post, ou uma golesma de pessoa atras desse ipad.

Hoje iniciaram as aulas propriamente ditas. Como antecipei ontem, cada aluno pode ficar em diferentes niveis para cada skill, de acordo com o resultado do seu teste. O meu foi o retrato exato do que eu sou: pré intermediário (intermediário 1 no Brasil), ficando no nivel 5 de 9. Com os gaps conhecidos: listening e grammar e muito bem em reading.

Sao 4 programas por dia. Um professor, colegas diferentes ou iguais e uma sala pra cada: Integrated Skills, Grammar, Communication and Improve Conversation. A cada hora e meia, trocamos tudo. Sala, livro, professor, colegas. Sim. Aí começa o drama da desavisada.

Gente, são 4 aulas em seis horas CORRIDAS. Sim. Começa às 8:30am e termina as 2:30pm. Intervalo de 15 minutos pra achar a sala num labirinto, fazer xixi (se der), pegar um café (nao deu) e quiçá respirar. E tem que correr. Na hora exata a porta fecha e nao entra mais. Duas faltas, go out! Você esta fora do programa ate a proxima semana!!! <o>

Resultado: uma da tarde eu era uma ameba esfomeada, com um enxame dentro da cabeça. Fui comer as 3 da tarde, com olheiras penduradas na bochecha. Agora eu tenho uma mochila de primeiros socorros para buracos doloridos no estômago. Saca o ditado saco vazio não pára em pé? Só é em pé porque saco não pensa.

O primeiro professor é incrível, com uma didática impressionante. Em uma coisas que ja havia estudado duas, tres vezes no Brasil, fizeram sentido. A teacher de gramática nao tem a menor paciência, mas a forma como ela explicou algumas coisas finalmente fizeram sentido e conexão com o que eu ja tinha de aprendizado. Alias, em um dia, posso dizer que aqui todas as fichas das duvidas caem. Bem rápido.

É muito, muito cansativo ter que pensar o tempo inteiro. Enquanto estamos conversando com alguem, simplesmente é assim. Pra mim, aqui, é fazer um calculo de álgebra atras do outro. Sendo que eu nao faço a menor ideia de como se calcula um.

O que me deixa muito feliz é que entendo tudo o que os professores falam. Tudo mesmo. Claro, algo de vocabulario sempre é novo, mas aprender uma nova lingua é entender o contexto, sentir as palavras e seus significados, conexoes, enfim. Mas eu saio da sala de aula, pluft. É beeem dificil. Aqui em casa nao tem jeito, eu nao entendo o que eles falam. Se alguem conseguir me explicar de isso tem logica ou burrice, obrigada.

.:.

Hoje comprei o passeio para Niagara Falls. Sabado vou la ver o Pica-Pau. (Nao entendeu? Ok. http://m.youtube.com/watch?v=HqPGEAccQS8 ). Amanha vou a CN Tower. Provavelmente no fim de semana do dia 21 passe 3 dias visitando a parte francesa do Canada (Quebec, Ottawa e Montreal). E ainda esta na agenda o musical Magico de Oz.

.:.

Faz frio aqui de manha. 8 graus. Mas pros Canadenses é u-hu, verao! \o/ todo mundo de camiseta e chinelo. À tarde, entre 15 e 20 graus. Porto Alegre feelings.

.:.

Sem a menor inspiração pra fechar este post com uma frase de efeito, beijo and morri.


segunda-feira, junho 03, 2013

3th day: 1st class

Hello, people! 

Brinks. Pronto, passou.

Hoje foi o meu primeiro dia de aula. Quando escolhi a English School of Canada (ESC), meu proposito era uma escola menor, para ter menos brasileiros e teenagers. Legal. De 25 new students, 9 sao o que? Brasileiros, claro. Claps!! E sabendo do quanto brasileiros sao inços que se juntam, existem regrinhas como essas, assinadas no contrato. Claps again!!


Meus colegas, alem de brasileiros, vem da china, Japão, coreia, Colômbia, Índia e arábia. Um mix interessante de gente diferente. Um olha e ouve o outro com muita curiosidade. E ainda assim o espirito eh de solidariedade um ao outro.

Na chegada, temos um teste de nivelamento com 100 questões de múltipla escolha divididas entre listening, grammar and vocabulary, com uma hora cravada pra responder a todas elas. Aparentemente fácil. Mas terrivelmente perigoso pra mim: provas são de longe o pior método de avaliação pra mim. Não tenho paciência, não presto atenção, enfim. Desde criança. Vamos ver no que vai dar amanha.

O passo seguinte é conhecer todos os conselours. Existe um pra cada continente/regiao/pais pra que, se o aluno tenha alguma duvida ou problema, consiga ser atendido a portas fechadas em sua lingua nativa. É bom, da uma segurança a mais.

Depois, partimos para o teste oral, ja que as aulas sao divididas entre grammar pela manha e speaking à tarde, podendo ter um aluno níveis diferentes nos dois módulos.

Eu me inscrevi no intensivo, então tenho aula das 8am até as 5am. Puxado.

Depois, conhecemos todas as atividades diárias que a escola propoe apos as aulas, mais os passeios nos finais de semana. De jantares, passando por happy hour, viagens a NY, formula 1 em Montreal, passeios no shopping, enfim. Tem pra todos os gostos. E bolsos e vistos.

O ultimo passo foi conhecer a vizinhança da escola: supermercado no térreo, livraria em frente, biblioteca publica, restaurantes, enfim. A escola fica realmente bem posicionada. Pra quem vem pra jornadas curtas como eu, com foco absoluto no estudo, é ótimo ter tudo tal perto.

Amanha iniciam as aulas e saberei em que nível fiquei. Amanha eu conto. Ou não. Hahahaha.
.:.
Saí da escola e resolvi caminhar (quase) sem rumo. Peguei um street car e um metrô e saí caminhando pela Spadina St. 

Off topic: quase em rumo pq eh impossivel sair sem o mapa, pra saber exatamente quais os transportes precisam ser pegos.

Alias, é IMPOSSIVEL se locomover em Toronto sem uma minima nocao geografica. Uma bussola seria um bom presente. A cidade eh dividida entre os 4 pontos cardeais e todo o tempo tu tem que pensar se vai pra que lado tu vai. No metro, tu escolhe pra qual deles sempre. Vai que tu escolhe o sul e era o norte? Babau. Ainda tô decorando se eu moro no west ou East e ou se é a escola que é pro outro lado. As pessoas chegam a parar no meio da rua, procurar geralmente a CN Tower que é o ponto mais alto pra conseguirem se localizar. A sorte de nós, turistas, é que basta alguem te ver com o mapa na mao com cara de interrogaçao, que alguem vem te ajudar. Até o maquinista, mesmo atrasando um metrô inteiro. Meu caso hoje.

Bom, tanta moral a respeito do mapa e etc e eu consegui a façanha de caminhar 4km e ir parar em China Town, por um lado contrario ao que estive no sabado. Fala serio. Resumindo, conheci apenas uma rua bacana com varios barzinhos. Deve ser muito legal à noite.

Cheguei em casa morta com farofa. E ainda estamos no Cat Shower. <o>
.:.
Hoje quase matei a Katie (minha homestay) do coração quando de manhã, antes de sair, dei um beijo nela e desejei um bom dia de trabalho. Canadenses nao se tocam e tem pouquíssimas (nao vi nenhuma ainda) manifestações físicas de carinho. Nem entre filhos. É realmente tudo muito diferente.

Por fim, algumas pictures de hoje.
Fui.

Na Spadina St

Muito mais famoso que Starbucks aqui.
CN Tower

Lindo dog que me fez morrer de saudades das minhas peludas.

domingo, junho 02, 2013

A proposito

Desculpem a quantidade de erros de digitacao, a falta de acentos e etecetares. Mas escrever longos textos no ipad eh um exercicio de paciencia nao praticado.

2nd day: Cat Shower

Adorei reativar o blog. Receber comments. Tinha esquecido como é legal, mais próximo, mais carinhoso que o facebook. Saudosos anos de blog. Obrigada gurias.
.:.
Gosto da ideia de vcs de fazer o mesmo diario em ingles. Masmo guardarei pra mim, hohoho.
.:.
Hoje foi o dia de arriscar mais: interagi mais com a familia, assumindo o risco de falar o que nao queria falar. Foi bom, mas tenho certeza de que muitas delas eles ficaram me olhando tentando fazer sentido. That's ok.

Me arrisquei tambem saindo sozinha e foi muito facil. Nem me perdi! Pedi informações, olhei o mapa, enfim. Fiz tudo omque eu tinha planejado: caminhei e fiz compras.
Alias, a maioria das mulheres viaja e corre atras das maquiagens. Eu corri pelas eletronic stores atras da minha wish list. O primeiro e absolutamente necessario item esta aqui ao meu lado me olhando: uma camera samsung linda. Branca, zoom 18x, fotos e videos em HD e o melhor: wifi e compartilhamento nas redes sociais. Me belisca.
.:.
Estou estranhando demais a alimentaçao. Dos horarios, passando pelos tipos e temperos. Tudo é apimentando e levemente adocicado. Fora que 6pm nem de longe é meu horario de jantar.
.:.
Toronto é uma cidade com muitos, muitos turistas e moradores/nativos de nacionalidades diferentes. Burcas, turbantes, cores de cabelo e estilos muito diferentes. Me paro ouvindo e tentando entender as pessoas conversando, lamento nao estar entendendo lhufas e caio em mim que é frances, ou japones, ou arabe. Alias, a quantidade de asiaticos aqui é quase igual a de canadenses. Impressionante. To curtindo essa diversidade cultural.
.:.
Hoje comprovei o que tanto li: o porque do assunto de Toronto ser o clima. Isso aqui parece Lost! Vc esta caminhando tranquilamente na rua e cai uma chuvarada sem explicacao. Dois minutos depois, abre o sol. E quem sabe daqui a duas horas uma ventania de 70km/h e tres minutos depois tudo bem. Ja aconteceu de eu entrar no metro com sol, o street car chegar molhado e sairmos na rua de novo e ja ternsol. Crazy. And a new umbrella.
.:.
A piada do dia foi eu tentando explicar a minha tatuagem. Ter uma pulga atras da orelha (depois de recorrer ao dicionario ja que nao entenderam minha explicacao logica de animal black nhac nham blood cats and dogs) definitivamente não é uma piada em inglês.
.:.
Off topic de hoje: viva a internet. Viva ao viber, whatsapp, skype. Tudo fica muito perto.
.:.
E pra finalizar o dia de hoje, chego da rua e a minha homestay, apos mimicas, caretas, contorcionismos me fez entender que algo quebrou no encanamento denagua quente. ACHO que entendi que a agua quente fica numa caixa? separada da agua fria e este cano teve um problema. Com isso, teriamos que tomar banho de (o que entendi ser) bacia e caneca. Depois vi que a bacia era tonel e a caneca era jarra. Ok. O importante no inicio é entender o contexto, alertou minha teacher antes de eu vir pra cá.
Acalmei minha homestay de que estava tudo bem e que no Brasil isso tambem acontece. E que chamamos isso do que apelidei de Cat Shower. Ok. Todos na casa agora estao falando em Cat Shower. Isso já aconteceu com outras palavras e expressoes, mas em portugues. Ok, talvez em julho eles estejam falando portugues e nao o contrario. :P



Intercâmbio em Toronto

Muito bem. Eis um belo motivo para voltar ao Confetes: registrar um diário da minha aventura por um mês em terras canadenses. Ou escolher a mídia certa para tanto, evitando o facebook para textos longos.

A vinda pra cá, exceto as longas horas de espera em SP e o desconforto do vôo, foi tranquila. Achei que a imigração iria confiscar os inumeros pacotes de doces que eu trouxe, mas nem tomaram conhecimento. Trouxe rapadura, cocada, doce de abobora, doce de leite, schmier, chocolate, enfim. Presentinhos pra familia que me acolheu tao bem desde os primeiros e-mails que trocamos.

Engracado eh que fiquei nervosa, ansiosa durante uma semana que antecedeu a viagem. Mas no dia que cheguei estava calma e tranquila.

Minha homestay eh formada por um casal com dois filhos adolescentes, dois passarinhos e um dog chamado Chico. Ele é venezuelano, ela Canadense. A casa, modelo pelo que pude ver eh bem tradicional por aqui, eh geminada e fica numa alameda muito tranquila, com um parquinho em frente. Fico no subsolo da casa, num quarto individual e, no quarto em frente, outra estudante, a japonesa Eko. Que, queridamente, abriu mão do seu final de semana pra explorar comigo Toronto antes que as aulas e as atividades da escola iniciem. E, espera-se, eu tenha novos amiguinhos pra me ocupar.

Off topic: Trouxe apenas uma mala de 30kg, mas eh impressionante como as escadas me desafiam quando estou com uma mala só. Me lembrei da viagem com as amigas a Buenos Aires, quando nos deparamos com uma escada gigantesca pra entrar no hostel. Aqui, a escada eh menor, mas quase rolei degraus abaixo com minha malinha.






Katie me explicou todas as regras da casa. Ela fala bastante rapido, eh super dinamica, acho que entendi o suficiente pra nao ser expulsa. Jamais entre de sapatos (tem um armario na entrada para deixar os seus. Ja chegue na casa de um canadense desamarrando os cadarços. E aprenda a se vestir sem calçá-los no quarro). Nao usar a maquina de lavar roupas e louça, papel higienico eh no vaso, como ligar o chuveiro, quais comidas da geladeira podem e nao podem ser comidas, nao usar a cafeteira, enfim. Acho que entendi todos os dont's.

Precisava comprar o meu pass do transporte. Alias, o sistema de transporte aqui eh incrivel. Uma malha inteligente e interligada de metro, trem eletrico e onibus. A cidade eh dividida em quadrantes e o transporte segue essa logica. Basta jogar batalha naval no mapa e pronto: facil descobrir qual linha e qual veiculo pegar e pra onde ele vai te levar. Este passaporte que comprei, que custa CAD 129 me da direito a usar de forma ilimitada, durante um mes, todo e qualquer tipo de transporte, quantas vezes quiser. Alias, uma observacao classica de brasileira: como o tram eletrico nao tem cobrador, tu coloca ali as moedinhas e pronto. Ninguem pra conferir se tem mais ou menos.

Eko me levou ate a minha escola, para nao me perder no primeiro dia. Passamos e almocamos pelo Shopping Eaton Centre, o maior shopping subterraneo do mundo. Depois, fomos ate Chinatown. Bacana, mas suja e tumultuada. Descobri que minha nova mala sera comprada ali, por CAD 19.

O jantar aqui eh as 6pm. Pelo que entendi, todos jantam e se recolhem. A familia foi ver televisao, nao vi mais a Eko e acho que entendi que eh assim. Ontem escureceu as 9:30pm, estava morrendo de saudades do horario de verao. Ah, e com isso, estamos a apenas uma hora a menos de fuso para o Brasil. Bem facil para comunicacao coma terrinha.

Ainda estou decidindo se compro um chip de telefone local, ja que tem wi-fi em muitos lugares e sigo me comunicando pelo whatsapp, viber, enfim.

O mais estranho ate agora, falante e irritantemente opinante como sou, eh ficar quieta. Meu ingles nao alcança nem de perto pra isso, entao sou uma crianca de 5 anos. E entendi que durante um mes vou assumir uma dupla personalidade, hahahaha. E talvez as pessoas agradecam quando eu voltar e o gayo tiver comido minha lingua.




quinta-feira, março 07, 2013

Pra ficar o registro




2012 foi um ano duca.
Mesmo.

Meu desejo para 2013, nas nossas vidas pessoal e profissional (que na real é uma só, não acredito em duas), é INSPIRAÇÃO.

Porque eu acredito muito nisso. Quando a gente consegue INSPIRAR marido, esposa, filhos, amigos, colegas, pessoas, consumidores, enfim, quer dizer que a gente fez algo bacana.
Que de certa forma somos fonte de coisas legais. Até exemplo. Quiçá referência. Whatever.

E se a gente não conseguir inspirar alguém o tempo todo, que ao menos a gente consiga, nos momentos difíceis, inspirar. Respirar. Contar até 10. E recomeçar, todos juntos.

terça-feira, abril 03, 2012

E não é?

A vida é uma eterna brincadeira de amarelinha.

segunda-feira, abril 02, 2012

Basta querer. E merecer.

segunda-feira, março 26, 2012

Hipocrisia

E então o blog vem à cabeça quando estou à beira de explodir no meu silêncio. De ver tantas coisas e guardá-las comigo. De ficar incomodada e entender que, na verdade, mesmo estando envolvida com um assunto, eu não tenho nada a ver com isso.

Dizia o filósofo Montaigne em Ensaios da vaidade: "Deixa-se que as leis e os preceitos sigam o seu caminho: nós tomamos outro, não só por desregramento de costumes, mas também frequentemente por termos opiniões e juízos que lhes são contrários."

Vontade de transformar aquela música do Cazuza e cantar "Hipocrisia, eu quero uma pra viver".
Falar de hipocrisia é falar de covardia. Só não é hipócrita quem tem coragem de assumir o que pensa e falar. Falar na lata, papo reto. Tenho vergonha dos covardes que revelam no papo velado o que pensam realmente sobre quem dizem que consideram.

Vontade de jogar o jogo da verdade.
Jogue o jogo da verdade e espere pelos unfollows da vida real. Eles virão inevitavelmente.

Portanto, muito prazer, também sou uma covarde. E hipócrita.

sexta-feira, dezembro 30, 2011

2011----2012

Meio ano se passou neste blog.
Mil anos se passaram na vida aqui fora.
2011 foi um ano difícil pra todos. Não sou muito das retrospectivas, sou mais do futuro. Para dar uma passeada no que aconteceu, basta procurar na memória, num papo com amigos numa ceva no fim da tarde, na timeline do facebook.

Pessoas queridas se foram em 2011.
Minha mãe com câncer.
Meus avós se distanciaram milhares de quilômetros.
Essas foram as tristes notícias do ano que passou.
Em compensação, muitas coisas boas me fizeram sorrir.
Nos mudamos para nossa casa nova e nossa no sentido literal.
Reformamos, reformamos e reformamos e agora partimos para a última etapa.
Consolidamos nossa vida de casal, de família. E por falar em família, sei não o que seria de mim sem a minha. Meus pais, irmãos amados e amigos, que acabam por fim formando a família que escolhemos. Amigos de uma vida, de anos, de meses. Tempo acaba sendo relativo, vale sim o sentimento e o quanto verdadeiro ele é.
A vida profissional foi sensacional. Empregos e desafios novos, o último inclusive a uma semana do fim do ano. Prêmios conquistados. Projetos realizados. Resultados contados. Muito reconhecimento. Foi um ano de colheitas.

Mas falemos de futuro. Ou melhor, quero vivê-lo o mais rápido possível.
Então venha, 2012. Estou preparada pra ti. Sem metas. Quero é viver todas as que conquistei.

sexta-feira, junho 03, 2011

Alê,

Como assim? Semana passada combinamos tomar umas cervejas no fim do mês, quando finalmente matariamos as saudades dos amigos que deixei em Sao Paulo. E agora tu nos deixa assim, sem mais nem menos?

Ale querido, tu acreditou em mim e no meu potencial naquela entrevista que me levou, em 15 dias, pro meu maior desafio profissional até aqui. Abraçamos sozinhos uma bronca gigantesca. Trabalhamos madrugadas, fudidos, 15, 18, 20 horas a fio. Almoçamos juntos quase todos os dias - e muitos deles na frente do computador. E viramos amigos. De diretor a amigo, pq eh impossivel estar perto de ti e ser menos que isso.

Choramos as pitangas dos problemas, te ensinei o que eh bergamota e tu me retribuiu com as feijoadas paulistas de quarta. Me dava carona pra casa, dizia que ficaria tudo bem, que a saudade da minha verdadeira casa passaria logo. Conheceu meu marido, passou a fazer parte da nossa vida. E eu, na solidao de Sao Paulo, vi em ti e nos nossos amigos a familia que sentia falta.

Tu me deu apoio desde o primeiro minuto encabulado da minha desistencia. Joguei a toalha e a oportunidade e tu entendeu. Me deu apoio e disse "vai em frente. O amor é mais importante do que tudo."

Tu me ensinou o que é ser um chefe decente. Que na hierarquia existe respeito, generosidade e que o bacana é dar a chance do outro crescer. Ensinou a mim e aos nossos amigos o verdadeiro valor dessa palavra. E que generosidade, alias, era uma das tuas maiores virtudes.

Valeram as risadas, as brincadeiras, a turma da casinha. Mas essa historia de que o céu ficara mais feliz nao me convence. Aqui é que precisamos de gente do bem, de alma transparente como tu. Dane-se o céu. Tua familia, tua filhota, eu, o Rafa, a Cla, a Camila, a Gi, o Volnei, queremos tu aqui.

To te esperando pra conhecer o sul e tomar aquela ceva. Chega de brincadeira. Trinta e poucos anos. Os bons morrem jovem, ja diziam. Mas tu acabou indo embora mais do que cedo demais.

Amigos são imortais.

sexta-feira, abril 29, 2011

Não sei se acontece com você também. Os dias vão passando, as tarefas sendo cumpridas, a vida sendo vivida. Aí paramos pra pensar e lembrar de recentes ou nem tão recentes acontecimentos. E eles parecem pertencer a outra pessoa, a outra vida, a outro eu. Pelo menos comigo tem sido assim. A vida parece ter duração de alguns meses. Ou pior, dias. Mais do que isso, parecem pertencer a outro alguém, que não eu mesma.

Exemplo? Volto a São Paulo mês que vem a trabalho. Bacana, adoro São Paulo. E depois de muitos instantes paro e penso: peraí, mas eu morei em São Paulo. E faz apenas dois anos que voltei!. A palavra apenas é só para ilustrar nesse texto. Tem certeza que foi nessa vida? Tem certeza de que fui eu?

E assim a vida, esse breve momento de tempo medido não sei por que critério, passa. Aos galopes. E aí pensamos no ontem e a distância entre ele e o hoje é maior do que gostaríamos. E assim passam oportunidades, pessoas, lembranças, conquistas, derrotas, lembranças. Tristezas, decepções, alegrias, minutos. Estes instantes que preenchem nossas vidas com uma reunião, um almoço, uma viagem, uma reforma da casa. Se têm a duração de uma hora, quinze minutos ou quatro meses, acabam entrando no mesmo pensamento sistêmico de algo que passou e pertence ao passado. Que deveria, sinceramente, ficar na memória classificado por recente, breve, longo. Mas ficam todos enquadrados da mesma forma: passado. Foi. É? Nem vi.

O que mais me inquieta nisso é que nele estão pessoas. Se os dias passam assim, e cada um deles parece ser auto-suficiente para ter começo-meio-fim-passado, independentemente do tempo que durem, acabamos vivendo na saudade. E é aqui que quero chegar. Se paro pra pensar, a saudade tem sido randômica e inacabável.

Sério que faz um ano e meio que não te vejo? Mas não foi ontem? Faz dois anos que voltei? Sério que já faz três meses não que almoçamos juntas e que muitas vezes vou sozinha, porque chegou meio-dia e não pensei antes o que faria? Não, não é possível que sequer te mando e-mail há um ano. E assim por diante. Não por desleixo, mas simplesmente porque os dias vão passando. E as prioridades diárias tomam espaço das demais. Com você é assim também? Parece que o tempo dura cada vez menos. Porque a gente esqueceu de planejar um pouco mais do que uma semana. E porque a gente não tem tempo. E assim sobra só o ontem, o almoço de hoje em 15 minutos no shopping entre uma reunião/um review/um briefing/um banco e o dia mal planejado de amanhã.

Aí eu digo pra mim mesma: chega de saudade. E então agendo as unhas, a depilação, a reunião, o review, o ballet, o banco, o sono, o marido, a obra, a novela. E me falta o tempo. E vivo o dia. E me sobra a saudade.

E ai então me pergunto: mais um dia? Ou menos um dia?